Como reduzir dívida sem empréstimo ou financiamentos para evitar mais endividamento? Tomar medidas definitivas para reduzir dívidas é um desafio, principalmente por haver vários processos envolvidos nesta ação. No entanto, você não deve gastar seus esforços em apenas eliminar as dívida pendentes e atuais, mas é preciso trabalhar para evitar que novas dívidas desnecessárias apareça no futuro.

Vale lembrar que a capacidade de quebrar o ciclo de endividamento é um verdadeiro desafio para a maioria das pessoas economicamente ativos, imagina para os que não estão gerando rendimentos. Quem depende de crédito para sobreviver e manter as contas em dia, sem duvidas tem a dificuldade aumentado por muitas vezes.

Comece a reduzir dívida sem empréstimos

Vamos ver aqui alguns passos que você poderia absorver como regra e começar a reduzir suas dividas vincendas.

Faça um panorama nas contas

Faça uma avaliação sincera da sua real situação financeira, a grande maioria das pessoas ficam surpresas onde o dinheiro escoa todos os meses. O gasto irresponsável e com coisas desnecessárias é que levam as dividas e mais dividas.

Faça um planejamento a partir delas

Defina um plano de orçamento de ganhos, custos e gastos mensais. Certifique-se de colocar as prioridades e as despesas fixas, como luz ou água contas e aluguéis, e poupança.

Siga seu plano e cumpra suas metas

Siga seu plano a risca. Essa ação pode ser a mais difícil da estratégia para reduzir dívida. Uma dica, cancele todos os cartões e fique somente com um para emergências. Para que ficar pagando encargos e anuidades sem precisão.

Use dinheiro e esqueça o crédito

Use o dinheiro vivo quando fizer suas compras. Os cartões de crédito cria um falsa sensação que seu dinheiro é ilimitado.  Sai desse ciclo. Ao usar dinheiro vivo para pagar suas compras você fica livre de qualquer pendência financeira.

Continue trabalhando e planejando

Seja responsável. Seu trabalho não termina com a redução da dívida. Saiu das dividas, o objetivo é continuar praticando seu poder de controle sobre o seu bolso, corra de acesso fácil e irrestrito ao crédito, tá provado, quanto mais crédito mais perigoso você se torna. Tenha uma vida financeira saudável para não ter que entrar por caminhos obscuros.

Negocie com os credores

Se a dívida está alta demais, o jeito é negociar diretamente com o credor. Assim, em vez de pagar o montante total de uma fatura, por exemplo, você pode negociar em parcelas um valor acessível. É importante ter o planejamento neste momento para você fazer um negociação e conseguir pagar em dia.

No planejamento financeiro é preciso constar toda a renda que entra e as contas fixas e variáveis. Com base nisso, é possível fazer uma negociação dentro do seu cronograma. Então, faça suas contas e veja quais os valores podem ser estabelecidos e cumpridos.  Procure o órgão do seu estado e tire essas dúvidas.

Caso não consiga resolver o problema com sucesso,  o ideal é seguir em frente para solucionar o problema.

Procon pode te ajudar na negociação de dívidas

Para reduzir dívida vale também procurar especialistas no assunto. Se você tentar negociar diretamente com o credor, mas não conseguiu um valor mais justo, procure o órgão estadual.  Normalmente, o Procon possui um núcleo de atendimento para auxiliar o consumidor a tirar dúvidas nesta parte de contas e dívidas.

Esse mesmo setor pode te ajudar a negociar de forma mais justa. A dívida de cartão de crédito, normalmente, está com juros maiores. O Procon entra nesta negociação para colocar a taxa de juros mais justa. As vezes, dependendo do tipo de dívida, é possível diminuir bastante.

Se o Procon não resolver, o consumidor precisa continuar sua jornada. O que fazer então para reduzir dívida nesta caso? Procure um advogado especialista em direito do consumidor.  Ele certamente vai estudar o caso e orientar as ações necessárias, seja para negociar ou até entrar com uma ação. Neste caso, além de ter mais chances de negociar as contas, é possível ver até que ponto os juros são abusivos e se há mais alguma irregularidade.

De um modo geral, é possível sim reduzir dívida sem ter que pedir empréstimos.  O importante é o consumidor esfriar a cabeça, organizar as ideias e até receber ajuda de fora para organizar as contas. Nesta fase é comum o desespero, porém ele não resolvera a questão.

Reduzir dívida sem empréstimos ou crédito pessoal
Média 527 votos