O empréstimo pessoal é uma forma garantida de ajudar qualquer pessoa que esta no sufoco de dinheiro arrumar recursos para pagar suas contas pendentes e sair das dívidas, principalmente se consolidar os pagamentos em um só. O empréstimo pessoal em bancos ou amigos evita a tomada de dinheiro com agiota.

Bancos, financeiras e empresas de crédito oferecem empréstimos pessoais para quem está trabalhando, comprova renda com IRPF ou movimenta conta bancária constantemente. Quem têm renda baixa não esta fora do mercado financeiro, o limite de crédito não é dos melhores, mas ajuda.

E quem tem nome sujo na praça? Os que estão nesta situação não tem direito a nada, fica sem crédito, o nome é enviado aos órgãos de proteção e as instituições fecham as portas para qualquer tipo de solicitação de empréstimo novo. Se quiser sair das dívidas terá que negociá-las!

“Pagar dívidas não é fácil, o melhor é não fazê-las”, um velho agiota dizia isso sempre que alguém ficava devendo para ele. Quem esta com restrição fica sem alternativas, acaba entrando no círculo vicioso da agiotagem em um momento qualquer da dificuldade. Pensar que é a última forma de sair das dívidas é irreal, mas o dinheiro com certeza vai entrar.

Dívida não escolhe bolso, carteira, classe social, função na sociedade, se a pessoa não for disciplinada, certamente um descontrole financeiro pode ocorrer e botar todo orçamento e a renda mensal a baixo.

É um fato bem real que muitas pessoas atualmente vivem financeiramente do acesso de crédito disponível para elas.

Conseguir empréstimo pessoal para sair das dívidas tendo dívidas não dá certo. Obter empréstimos com taxas baixas é possível com crédito consignado, uma excelente alternativa para o assédio dos agiotas. Eles se aproveitam de pessoas e famílias vulneráveis, que estão muito dispostos em emprestar dinheiro mesmo que as taxas de juros sejam extremamente inflacionadas.

Dica: “Não faça do acesso ao crédito uma bola de dívidas incontrolável”.