O crédito pessoal bancário e crédito pessoal com agiota no Brasil a muito tempo estão em franca expansão, não existe uma estimativa oficial, mas, calcula-se que cerca de 300 mil cidadãos no país estejam nas mãos de agiotas que fazem empréstimos clandestinamente. Leia quais são as alternativas ao dinheiro de agiotas.

Um grande problema relacionado aos agiotas, são as diversas acusações divulgadas nos noticiários sobre as formas de cobranças, ameaças e opressão que eles impõem aos clientes que atrasam os pagamentos.

Quando a situação é quase impossível de obter crédito ou empréstimo com custos acessíveis em bancos e financeiras, os agiotas entram em cena para quem quer crédito pessoal fácil e rápido, além da pouca burocracia da operação.

A regulamentação para restringir as altas taxas de juros que o “crédito pessoal com agiotas” impõe aos seus clientes não existe, os órgãos públicos só tomam providências quando há denúncia formal por parte de um cidadão que sofreu ameaças ou punição.

Porque o crédito pessoal com agiota se dá bem? Simples, a agiotagem serve bem aqueles que são difíceis de serem atendidos por instituições financeiras e empresas de crédito legalizadas. Alguns perfis e grupos de cidadãos não tem acesso ao mercado financeiro e por isso, se submetem as taxas de juros oferecidas na agiotagem.

Os agiotas concorrem paralelamente com financeiras e empresas de empréstimos, vale até dizer que esse tipo de atividade é proibida mas não é reprimida, movimenta um mercado milionário de recursos que sai das mãos de todo tipo de pessoa. Se é que me entende? Como localizar agiota e identificá-lo ?

A impressão que tenho é que, o agiota serve direta e indiretamente à interesse alheios que ainda não consegui distinguir. Muitos ganham com a agiotagem e a necessidade das pessoas alimentam a cobiça e interesse de poucos com muito dinheiro, seja ele “dinheiro sujo” ou “dinheiro limpo vindo do exterior”.

Obs: Baseado no número de pessoas que utilizam os serviços de crédito pessoal com agiotas em curto prazo e financiamentos de 3 à 12 meses, as reclamações oficiais e denúncias feitas são muito baixas.